Â

Armando Macedo

A organização do corpo humano e sua relação com o ambiente são determinados de forma dramática pela força de gravidade. Mergulhados no campo gravitacional, como peixes no oceano, não temos consciência dela e do poder que ela exerce. Mas o que aconteceria conosco se a gravidade de repente mudasse de sentido? A resposta é que prontamente descobrirí­amos o quanto ela é importante – e determinante – em nosso mundo e em nossos corpos. É o que demonstra a animação a seguir:

{youtube}f-CIxwMD-hg{/youtube}

Na animação vemos um mundo que não faz sentido – e se torna muito perigoso – para um personagem que está submetido a uma ordem diferente. Para ele, a força de gravidade atua em outro sentido e, por isso, tudo o que o cerca – o nosso mundo “normal” – também não faz sentido para ele. Ele não tem chão e não tem, literalmente, nada que possa sustentá-lo, porque para ele a gravidade atua em sentido horizontal, num ambiente condicionado pela verticalidade.

Em nossa realidade, porém, não é o sentido da força de gravidade que muda, mas o corpo humano. Ao desafiar o campo gravitacional, o corpo se curva, ou melhor, é forçado a curvar-se. Em última instância, a força de gravidade trabalha para horizontalizar todo corpo que não respeita sua orientação vertical, ao preço de muita dor e limitações. Como sugere a animação, o resultado final pode ser desastroso.

Por isso, o alinhamento do corpo e a consciência de sua relação com a força de gravidade e do poder que ela exerce sobre nós e o mundo em que vivemos são um dos pilares do Método Rolf de Integração Estrutural, criado pela dra. Ida Rolf.

Â

Armando Macedo é profissional do Método Rolf certificado pela GSI.

Método Rolf e a força de gravidade

Navegue